Entenda a relação entre consciência de gênero e violência entre meninos adolescentes

ANÚNCIO

O aumento da consciência por direitos de gênero mais equitativos pode ajudar a diminuir o comportamento abusivo entre os adolescentes.

Entenda as mudanças emocionais encontradas em meninos adolescentes - Clínica Moshé Bergel
Foto: (reprodução/internet)

De acordo com um comunicado à imprensa das Escolas de Ciências da Saúde da Universidade de Pittsburgh, os meninos adolescentes que veem seus colegas abusando das mulheres ao seu redor têm maior probabilidade de apresentar comportamento violento do que os adolescentes que não são expostos a tal comportamento.

ANÚNCIO

Eles também descobriram que os meninos com atitudes de gênero mais equitativas têm menos probabilidade de se entregar a comportamentos abusivos.

Dados coletados na comunidade

Realizado pela Escola de Medicina da Universidade de Pittsburgh e pelo Hospital Infantil UPMC de Pittsburgh, esta é a primeira vez que pesquisadores coletam seus dados de um conjunto de dados baseados na comunidade, em vez de um estudo clínico.

Também coletou dados sobre vários níveis de violência, que incluíam violência de gênero, papel dos pares e bullying.

ANÚNCIO

A equipe coletou seus dados de uma amostra de 866 meninos, com idades entre 13 e 19 anos. Eles foram pesquisados ​​em ambientes comunitários de bairros de baixa renda em Pittsburgh.

Leia também: Chegou a hora de ensinar sexting seguro aos adolescentes, segundo pesquisadores

1 em cada 3 meninos mostrou comportamento abusivo

Os pesquisadores descobriram que o comportamento abusivo era bastante comum. Dos 619 meninos que namoraram, 1 em cada 3 mostrou comportamento abusivo em relação ao parceiro(a).

Cerca de 56% dos participantes se envolveram em assédio sexual e 68% em brigas físicas. Eles descobriram que os meninos que haviam testemunhado comportamento físico, verbal ou sexual prejudicial tinham de 2 a 5 vezes mais probabilidade de se envolver em comportamento violento.

No entanto, mesmo os adolescentes com atitudes mais positivas em relação ao gênero não eram menos propensos a se entregar a provocações homofóbicas.

Traduzido e adaptado por Agora Sabe

Fonte: Organic Facts

ANÚNCIO