Cientistas podem ter descoberto como prever o desenvolvimento do Alzheimer, entenda

ANÚNCIO

 

Deterioração Cognitiva Menor (DCL): conceito, causas e sintomas - Maestrovirtuale.com
Foto: (reprodução/internet)

Um estudo realizado por uma equipe de pesquisa espanhola, publicado na revista Brain, encontrou um conjunto de biomarcadores que podem nos ajudar a prever se uma pessoa com Défice Cognitivo Ligeiro (DCL) tem um alto risco de desenvolver demência

ANÚNCIO

Descobertas do estudo

A descoberta foi feita enquanto os pesquisadores estudavam as mudanças no cérebro com a progressão da doença.

DCL é a fase que fica entre o envelhecimento normal e o mal de Alzheimer. O diagnóstico precoce do possível Alzheimer pode nos ajudar a desenvolver melhores estratégias de tratamento.

Leia também: Descubra o que são os RNA’s circulares, a possível chave para detectar o Alzheimer precocemente

Hipersincronização e conectividade cerebral

A equipe monitorou a atividade cerebral de 54 pacientes com DCL a cada seis meses durante três anos. Eles estudaram a hipersincronização, a conectividade entre as diferentes regiões do cérebro em cada estágio.

ANÚNCIO

A hipersincronização foi tomada como um ponto de medição. Pessoas com DCL que desenvolvem Alzheimer apresentam níveis elevados de sincronização.

No entanto, isso diminui à medida que o Alzheimer progride, mostrando uma rede cortical com disfunção. Alterações foram observadas nas regiões fronto-temporal e fronto-occipital à medida que a doença piorava.

Traduzido e adaptado por Agora Sabe

Fonte: Organic Facts

ANÚNCIO