Conheça o gatinho que escalou o Matterhorn em 1950

ANÚNCIO

Broad Oak Magazine: Kitten climbs Matterhorn

Hoje vamos contar a história de um felino destemido que pode ter escalado uma montanha infame em 1950. Centrado nos Alpes suíços, na fronteira entre a Suíça e a Itália, o Matterhorn é lindo, agourento e serviu de inspiração para artistas, romancistas e Walt Disney (é a base para a montanha-russa Matterhorn).

ANÚNCIO

Também é uma montanha difícil de escalar – alguns tentaram, alguns falharam e alguns morreram durante essa bravura. Desde 1865, mais de 500 alpinistas morreram nas encostas do Matterhorn.

The Matterhorn Cat: History of a Story – Cervinia Icons
Foto: (reprodução/internet)

Matt não era um deles. Em 1950, jornais de todo o mundo relataram que esse gatinho de 10 meses chegou ao topo da montanha. Mas quanto dessa incrível história se baseia na realidade?

Fique por dentro de mais animais famosos: Conheça Koko, a gorila mais famosa do mundo

A se acreditar em fontes como o The Sydney Morning Herald e o The Times of London, Matt morava no Hotel Belvedere, que antes ficava na montanha Hörnli Ridge. Foi ponto de partida para muitas escaladas e o gatinho passou os dias observando dezenas de montanhistas iniciarem suas perigosas jornadas.

ANÚNCIO
Cool History Facts: The Cat That Climbed the Matterhorn
Foto: (reprodução/internet)

Certa manhã, ao amanhecer, ou assim conta a história, Matt decidiu lançar sua própria expedição de gatinhos, partindo atrás de um grupo de expedição. Ele tentou acompanhá-los antes de partir sozinho.

Il gatto del Cervino
Foto: (reprodução/internet)

Supostamente, Matt passou sua primeira noite no Solvay Hut, um pequeno refúgio para alpinistas a 12.556 pés. Na noite seguinte, ele se escondeu em uma ravina logo acima do ombro.

Na manhã seguinte, um grupo de alpinistas surpresos o avistou e percebeu que Matt não seria capaz de escalar as encostas finais notoriamente perigosas da montanha. Mais tarde naquele dia, eles encontraram o gatinho esperando por eles no pico.

Chocados, eles compartilharam a comida com Matt antes que um dos alpinistas o colocasse em sua mochila e o carregasse de volta pelo lado italiano do Matterhorn. Mais tarde, ele foi devolvido ao Hotel Belvedere, onde viveu o resto dos dias (e nunca mais escalou a montanha).

Traduzido e adaptado por Agora Sabe

Fonte: Portable Press

ANÚNCIO