Entenda como o aumento da triagem de assintomáticos ajuda a controlar a COVID-19

ANÚNCIO

Com a pandemia de coronavírus mostrando sinais de desaceleração, há uma necessidade cada vez maior de precaução para garantir que ela não apareça novamente.

Uma nova pesquisa, publicada nos Clinical Infectious Diseases revelado um método de teste barato que deve ser tomado em uma base recorrente para indivíduos assintomáticos.

ANÚNCIO
SBPC/ML alerta sobre utilização correta dos testes rápidos - Medicina S/A
Foto: (reprodução/internet)

Liderado por pesquisadores do Massachusetts General Hospital, o estudo explorou o impacto econômico e clínico de diferentes estratégias de teste para a incidência e mortalidade de COVID-19 em Massachusetts.

A equipe comparou quatro métodos de teste: hospitalizado, sintomático, sintomático + assintomático-uma vez e sintomático + assintomático-mensal. O teste hospitalizado referia-se a testes de PCR de pacientes graves ou críticos que necessitaram de internação.

O teste sintomático também envolveu testes de PCR para qualquer pessoa com sintomas de COVID-19. Sintomático + assintomático-uma vez envolveria um teste sintomático e PCR uma vez para toda a população. Por fim, vem o sintomático + assintomático-mensal. Isso envolveria um novo teste mensal para toda a população.

ANÚNCIO
Profissionais da Saúde de Teixeira Soares são infectadas pelo coronavírus | Portal Clique
Foto: (reprodução/internet)

A equipe analisou os prováveis ​​números de reprodução que necessitariam de mudança de política. Eles usaram as informações disponíveis sobre fatores como progressão da doença e mortalidade, sensibilidade da PCR, transmissão e custos.

O modelo sintomático + assintomático-mensal mostrou-se mais eficaz. Com os testes custando menos de 3 dólares com intervalo de 14 dias, foi o mais econômico.

A pesquisa recomendou expandir o teste para pessoas assintomáticas para diminuir infecções, hospitalização e mortalidade.

Traduzido e adaptado por Agora Sabe

Fonte: Organic Facts

ANÚNCIO