Que estratégias precisam ser tomadas para lidar com a pandemia em campo de refugiados?

ANÚNCIO

O bloqueio global em face da Covid-19 tem sido particularmente desafiador para as populações deslocadas. Um artigo publicado na Nature nos fornece uma visão crítica sobre como lidar com esses assentamentos vulneráveis.

Coronavírus pode causar tragédia nos campos de refugiados na Grécia |  Notícias internacionais e análises | DW | 03.04.2020
Foto: (reprodução/internet)

De autoria de especialistas do Programa de Migração Forçada e Saúde do corpo docente da Columbia Mailman School of Public Health, o artigo baseia-se na experiência coletiva do autor para traçar uma estratégia viável.

ANÚNCIO

Leia mais: Conheça os desafios no enfrentamento à pandemia do COVID-19 nas zonas de conflito

O documento enfatizou o plano de preparação e resposta de emergência do ACNUR, que pede a necessidade de uma abordagem humanitária ao lidar com refugiados em todo o mundo.

De acordo com o órgão mundial, dos 196 países afetados, 79 estão hospedando refugiados. Isso significa 67 milhões de pessoas que preocupam o ACNUR. A equipe utilizou sua experiência em lidar com epidemias como Ebola, SARS e MERS para chegar às seguintes lições:

Manutenção de serviços essenciais de saúde

A infraestrutura básica de saúde sofre intensa pressão durante uma epidemia com desvio de recursos, interrupção das cadeias de abastecimento e escassez de atendimento médico.

ANÚNCIO

Isso agrava as disparidades já existentes no acesso aos cuidados médicos. Para piorar a situação, a falta de assistência médica pode tornar as pessoas com comorbidades ainda mais vulneráveis.

A continuidade dos serviços de saúde e o fornecimento de medicamentos para doenças crônicas tornam-se essenciais para evitar mortes adicionais.

Acesso à prevenção, controle, teste e tratamento

O acesso a essas medidas críticas de resposta da Covid-19 é extremamente inadequado em assentamentos de refugiados na maioria dos países. O foco da maioria dos governos está em seus próprios cidadãos.

O distanciamento social é extremamente difícil de realizar em densos assentamentos de refugiados. Os autores recomendam o planejamento do local, gerenciamento de multidões, vigilância e acesso a cuidados de saúde adequados para pacientes doentes e aqueles com comorbidades.

Envolvimento da Comunidade

Transparência na comunicação, construção de confiança e envolvimento da comunidade são essenciais para prevenir e controlar surtos de Covid-19 em assentamentos de refugiados.

Para as comunidades deslocadas, um nível de confiança deve ser estabelecido e, então, construído. As restrições de viagem não devem impedir a movimentação de suprimentos médicos e pessoal. Também é importante refrear qualquer retórica populista que demoniza os “estrangeiros”.

Traduzido e adaptado por Agora Sabe

Fonte: Organic Facts

ANÚNCIO