Conheça quatro lições que podemos aprender com a Itália na resposta ao COVID-19

ANÚNCIO

Como os legisladores em todo o mundo ainda estão lutando contra o surto de coronavírus sem precedentes, podemos aprender lições valiosas com nossos erros.

Pela primeira vez desde início da pandemia, Itália tem queda no número de  doentes com Covid-19
Foto: (reprodução/internet)

Um estudo recente, publicado na Harvard Business Review, fornece-nos lições valiosas da resposta da Itália à pandemia. Os autores estudaram como o país respondeu, as dificuldades em tomar decisões críticas e como poderíamos superá-las. As quatro lições críticas que encontraram foram:

ANÚNCIO

1) Reconhecer preconceitos cognitivos

Está relacionado a equívocos comuns entre pessoas e líderes que os levaram a ignorar os avisos de especialistas sobre o vírus.

Eles se recusaram a ver a rapidez com que o surto poderia aumentar e não tomaram as medidas adequadas a tempo. É importante deixar esses preconceitos e ouvir conselhos de especialistas.

2) Evite soluções parciais

Em vez de impor um bloqueio total, a Itália fez repressões parciais, expandindo-as lentamente para cobrir todo o país. As restrições parciais podem ter agravado a situação, pois desencadearam um êxodo.

ANÚNCIO

Os autores sugerem que se reflita sobre todo o sistema de saúde para evitar isso. Rastreamento de contato, teste e comunicação são apenas uma parte. De uma abordagem centrada no paciente, temos que mudar para soluções centradas na comunidade.

Veja também: Como ajudar seus amigos, vizinhos e colegas de trabalho durante a pandemia?

3) O aprendizado é crítico

Os autores compararam as respostas de Lombardi e Veneto para mostrar como o aprendizado rápido pode ajudar a minimizar o surto. Apesar de políticas semelhantes de distanciamento social e repressão, Veneto foi muito mais eficaz na contenção do surto.

Isso se deveu a testes extensivos, rastreamento proativo, monitoramento de cuidados de saúde e grande ênfase no diagnóstico e atendimento domiciliar. Veneto foi capaz de aprender com suas experiências e implementar novas políticas rapidamente.

4) Coleta e disseminação de dados

Houve dois problemas relacionados aos dados que os formuladores de políticas enfrentaram na Itália, a escassez de dados e a falta de precisão dos dados.

A falta de dados resultou em ação tardia, enquanto os problemas com a precisão dos dados impediram os formuladores de políticas de derivar os números corretos e, então, agir.

Eles observaram que bons dados podem ser críticos na alocação de recursos e no gerenciamento geral da pandemia.

Os autores concluíram enfatizando a necessidade de uma abordagem sistemática que dê preferência ao aprendizado. Deve ser flexível o suficiente para aumentar rapidamente as soluções de sucesso e encerrar qualquer solução que pareça ineficaz.

Traduzido e adaptado por Agora Sabe

Fonte: Organic Facts

ANÚNCIO