A ciência comprova: ir de bicicleta para o trabalho aumenta seu tempo de vida

ANÚNCIO

Quer montar o quebra-cabeça da vida e da longevidade? Pedale para trabalhar.

Qual bicicleta escolher para começar a pedalar - Revista Bicicleta
Foto: (reprodução/internet)

Tem havido vários argumentos contra um estilo de vida sedentário e por mais doses de atividade física.

ANÚNCIO

Somando-se a isso, está o último estudo que encontrou uma correlação entre ir de bicicleta ao trabalho e reduzir a mortalidade por todas as causas.

Apenas 3% da população pedalava para o trabalho

O artigo foi baseado em estudos de coorte da população trabalhadora da Nova Zelândia criados a partir de dados do censo de 1996, 2001 e 2006.

O meio de transporte para o trabalho, conforme relatado no dia do censo, foi registrado e, em seguida, correlacionado com a causa da morte, após ajustes de fatores como tabagismo.

ANÚNCIO

Verificou-se que apenas 5% da população caminhava para o trabalho, enquanto apenas 3% pedalava. O estudo concluiu que ir de bicicleta para o trabalho pode reduzir a mortalidade por todas as causas.

No entanto, nenhum desses padrões foi encontrado entre caminhar ou usar o transporte público para trabalhar e a redução da mortalidade.

Veja também: A vitamina D pode reduzir a mortalidade por COVID-19?

Quem pedala mais, homens ou mulheres?

“Estudamos 80% da população em idade produtiva da Nova Zelândia ao longo de um período de 15 anos, por isso é altamente representativo”, disse a pesquisadora principal, Dra. Caroline Shaw, do Departamento de Saúde Pública da Universidade de Otago.

“Havia diferenças de gênero no modo de viajar para o trabalho, com 2% das mulheres pedalando em comparação com 4% dos homens, mas mais mulheres caminhando ou correndo (7%), em comparação com os homens (5%).”

Uma proporção maior de jovens pedalava, caminhava ou usava transporte público em comparação com pessoas mais velhas.”

No momento da realização deste estudo, observa o jornal, o sistema de transporte na Nova Zelândia era dominado por carros (85%). A equipe de pesquisadores observa que as descobertas deste estudo podem ter implicações de política. [2]

Traduzido e adaptado por Agora Sabe

Fonte: Organic Facts

ANÚNCIO