Entenda como influenciadores infantis do YouTube têm promovido alimentos não saudáveis

ANÚNCIO
Cinco maneiras de combater a obesidade infantil | VEJA
Foto: (reprodução/internet)

Influenciadores de mídia social infantil estão promovendo junk food (comidas conhecidas como “besteiras”)  e bebidas cheias de açúcar em seus vídeos do YouTube, e estão obtendo mais de um bilhão de visualizações, de acordo com um novo estudo publicado no Pediatrics journal.

Fascínio do YouTube durante a pandemia do COVID-19

Os pesquisadores da Escola de Saúde Pública Global da NYU e da Escola de Medicina Grossman da NYU alertam que esses vídeos populares do YouTube usam técnicas simples de colocação de produtos de alimentos não saudáveis, confundindo a linha entre propaganda e entretenimento.

ANÚNCIO

Mais sobre a alimentação das crianças de hoje: Como é a alimentação das crianças norte-americanas?

“O fascínio do YouTube pode ser especialmente forte em 2020, pois muitos pais estão trabalhando remotamente e precisam lidar com a difícil tarefa de ter filhos pequenos em casa por causa do COVID-19”, relata Marie Bragg, principal autora da pesquisa.

Consequências da exposição a propagandas de junk food

Estudos têm demonstrado que as crianças aumentam o consumo de alimentos fritos e bebidas não saudáveis, mesmo após uma pausa de cinco anos em exposição a propagandas de junk food.

Este estudo específico revelou que 179 vídeos do YouTube de um total de 418 vídeos analisados ​​mostraram que os influenciadores consumiram alimentos ou bebidas de marcas não saudáveis.

ANÚNCIO

Esses vídeos eram dos cinco influenciadores infantis mais assistidos no YouTube no ano passado.

Traduzido e adaptado por Agora Sabe

Fonte: Organic Facts

ANÚNCIO