Estresse realmente deixa o cabelo branco?

ANÚNCIO

Já ouvimos histórias como Maria Antonieta, em que o estresse causou um envelhecimento quase instantâneo do cabelo. Mas a ciência por trás desse fenômeno ainda não era clara.

Maria Antonieta' de Sofia Coppola é exibido no Cine Teatro em Cuiabá | Mato Grosso | G1
Foto: (reprodução/internet)

Um estudo recente de Harvard pode ter finalmente lançado alguma luz sobre essa ocorrência.

ANÚNCIO

De acordo com a pesquisa, que foi feita com animais, o embraquecimento funciona da seguinte forma: o estresse ativa certos nervos que danificam permanentemente as células que contém pigmentos nos folículos capilares.

Primeira hipótese: cortisol

Como o estresse afeta todo o corpo, os cientistas tiveram que restringir o sistema responsável por essa ocorrência. A hipótese inicial era que o estresse afeta o sistema imunológico, aumentando os níveis de cortisol que atacam as células de pigmento.

Veja mais: Prebióticos podem nos ajudar a evitar a insônia em condições estressantes, revela estudo

Para testar isso, a equipe removeu o glóbulo adrenal que produzia o hormônio cortisol. No entanto, isso não fez diferença.

ANÚNCIO

Segunda hipótese: norepinefrina química

A equipe eliminou diferentes probabilidades da mesma maneira até que elas se restringiram ao sistema nervoso simpático.

Outros experimentos revelaram que os nervos simpáticos liberam a norepinefrina química, que afeta as células-tronco regeneradoras de pigmentos nos folículos capilares.

As células-tronco entram em fadiga, esgotando o reservatório de pigmento. Com o estresse contínuo, as células regeneradoras de pigmento foram perdidas permanentemente.

Traduzido e adaptado por Agora Sabe

Fonte: Organic Facts

ANÚNCIO