O Coronavírus pode deixar problemas neuropsicológicos como sequela?

ANÚNCIO
Covid afeta o cérebro e pode causar alterações mesmo em pacientes leves,  aponta estudo brasileiro | Coronavírus | G1
Foto: (reprodução/internet)

A resposta é sim. Basicamente, o COVID-19 é uma infecção viral que pode afetar qualquer pessoa com imunidade mais baixa e pode se espalhar facilmente. No quadro geral, a ameaça do coronavírus é uma situação de pandemia que rapidamente afetou o mundo inteiro.

Leia mais: Por que as pessoas correm um risco maior de depressão durante o isolamento social?

Com a maneira como está infectando a todos e afetando o modo de vida, um novo estudo,  publicados no jornal Brain, Behavior e Immunity, considera que causará uma onda de condições neuropsiquiátricas, principalmente em quem está se recuperando ou já tendo se recuperado do COVID-19.

ANÚNCIO

O documento aponta que a atual situação de pandemia está afetando todas as facetas da vida, incluindo as sociais e econômicas. Além disso, também é um estressor psicológico globalmente. Uma pessoa afetada pelo vírus também corre o risco de ter seu cérebro e comportamento afetados, devido ao estresse no sistema nervoso central.

“As pandemias anteriores demonstraram que diversos tipos de sintomas neuropsiquiátricos, como encefalopatia, alterações de humor, psicose, disfunção neuromuscular ou processos desmielinizantes, podem acompanhar a infecção viral aguda ou podem seguir a infecção por semanas, meses ou mais em pacientes recuperados”, alertam os autores deste estudo.

“Nosso artigo busca chamar a atenção da comunidade médica para a necessidade de monitoramento e investigações para mitigar tais resultados, para não causar pânico entre os indivíduos cujas vidas já estão fortemente afetadas por esta pandemia.”

ANÚNCIO

A equipe de pesquisadores da Universidade da Califórnia em San Diego destaca o aumento do risco de doenças como ansiedade, depressão, insônia, delírio, mania e tendências suicidas.

Estas observações são baseadas no estudo das pandemias virais respiratórias anteriores e condições que foram experimentados seguinte pandemias de gripe no século XVIII e XIX. Com base nessas observações, o estudo recomenda o monitoramento prospectivo de pacientes com COVID-19 para determinar os resultados neuropsiquiátricos.

Traduzido e adaptado por Agora Sabe

Fonte: Organic Facts

ANÚNCIO