Entenda como baixa renda e raça afetam a procura por ajuda médica para o COVID-19

ANÚNCIO

Para a maioria das pessoas no grupo de baixa renda, COVID-19 é um golpe duplo. Isso não apenas os torna mais vulneráveis ​​ao vírus, mas a falta de recursos adequados também os impede de procurar tratamento.

Mais sobre problemas envolvendo baixa renda: A vizinhança pode alterar a expressão gênica de uma criança, revela estudo

Covid-19: Brasil bate novo recorde de mortes registradas em um dia | RCIA  Araraquara
Foto: (reprodução/internet)

Um estudo da Escola de Saúde Pública da Universidade de Boston revelou que negros, norte-americanos nativos e pessoas de baixa renda são mais vulneráveis ​​aos riscos do COVID-19. Outro estudo do West Health Institute mostrou que 14% dos norte-americanos evitariam procurar ajuda médica para o COVID-19 por medo de altos custos.

ANÚNCIO

O estudo da Escola de Saúde Pública da Universidade de Boston, publicado no American Journal of Preventive Medicine, é baseado em dados do Sistema de vigilância de fator de risco comportamental, uma pesquisa nacional.

O estudo avaliou a proporção de adultos americanos com pelo menos um dos riscos associados à doença COVID-19 grave. Ele categorizou as pessoas por renda familiar e raça/etnia. A equipe descobriu que cerca de 43% dos adultos norte-americanos corriam maior risco de contrair doenças de COVID-19.

Eles encontraram disparidades raciais/étnicas nos riscos associados ao COVID-19 em todas as faixas etárias. 33% dos negros, 42% dos nativos norte-americanos correm um risco mais alto em comparação com 27% dos norte-americanos brancos.

ANÚNCIO

Na categoria de alto risco, 11% dos negros, 18% dos nativos norte-americanos apresentaram múltiplos fatores de risco, em comparação com 8% dos norte-americanos brancos. Os números foram igualmente maiores para as pessoas do grupo de baixa renda.

Os riscos mais elevados os tornam ainda mais vulneráveis ​​devido ao acesso aos cuidados de saúde. Outro estudo do West Health Institute sobre o aumento do custo da saúde nos Estados Unidos revelou que 14% dos norte-americanos evitariam procurar atendimento médico se apresentassem sintomas associados ao COVID-19 por medo de altos custos.

Outros 6% disseram que eles ou um membro da família não tiveram atendimento médico para alguma outra doença por causa de um sistema de saúde sobrecarregado que lida com a pandemia.

As pessoas com maior probabilidade de evitar ajuda médica eram não-brancos, com ensino médio ou menos e renda familiar inferior a 40 mil dólares por ano. Este estudo não encontrou nenhuma relação forte com raça, mas descobriu que os níveis de baixa renda afetam fortemente o acesso a cuidados médicos.

Traduzido e adaptado por Agora Sabe

Fonte: Organic Facts

ANÚNCIO