Vacina contra Covid-19 apresenta 98% de eficácia em idosos

ANÚNCIO

Na última quarta-feira (9), o governador de São Paulo, João Doria, afirma que a vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan, em parceria com o laboratório chinês Sinovac, teve 98% de eficácia em idosos.

Por ser um vírus altamente contagioso e já ter causado mais de 900 mil mortes, entidades internacionais de saúde correm para o desenvolvimento de uma vacina, que agora se encontra na sua fase teste em diversos lugares do mundo.

ANÚNCIO

A vacina chinesa CoronaVac, feita em parceria com o Butantan, se encontra na terceira fase de testes e no Brasil e está sendo testada em 9.000 voluntários da área de saúde por todo o país.

 

Vacina contra Covid-19 apresenta 98% de eficácia em idosos
Fonte: (Reprodução/internet)

Confira abaixo mais informações sobre a vacina e seu desenvolvimento.

ANÚNCIO

A vacina CoronaVac no Brasil

“Os testes demonstram que a vacina CoronaVac é segura e tem taxa de eficiência de 98% na imunização de idosos. Estudos da 2ª fase de testagem demonstram que pessoas com mais de 60 anos, que representam 1 dos grupos de risco, receberam mais de uma dose da vacina e a resposta imune chegou a 98%, afirmou o governador.

Ele também afirma, que desde o início da testagem no mês de julho os resultados têm destaque positivo, pois a quase 50 dias de testagem e não se tem nenhum incidente ou registro de reação adversa significativa.

A testagem ainda está ocorrendo em seis estados brasileiro, tem como prazo até o fim de setembro para ser testada em todas as pessoas. Assim, em outubro o governador declara que estará divulgando os resultados obtidos com a vacina. 

Disponibilidade da vacina 

Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, afirmou que até o fim de setembro mais de 9.000 voluntários serão vacinados. A partir disso, eles pretendem conseguir chegar a uma análise eficaz começando no dia 15 de outubro.

Com os resultados positivos, já serão disponibilizados 46 milhões de doses para o Ministério da Saúde fazer a vacinação, que poderá começar em dezembro de 2020. No entanto, cada pessoa teria de tomar duas doses, havendo assim somente 23 milhões de doses

Ampliação da fábrica 

Nesta segunda-feira (14), João Doria anunciou que em novembro iniciará obras de modernização e ampliação da fábrica do Instituto Butantan para desenvolvimento da vacina CoronaVac

A estimativa é que a obra esteja concluída no fim deste ano, e em 2022 comece a operar com plena capacidade. Foram arrecadados cerca de R$ 97 milhões e o projeto irá custar R$ 160 milhões.

Durante a coletiva de empresa no Palácio dos Bandeirantes o governador ainda esclareceu que fisicamente e fábrica já existe, mas que precisa ser modernizada e ampliada.

ANÚNCIO