The Good Doctor da vida real: conheça o jovem com autismo que se formou em medicina

ANÚNCIO

Histórias de superação sempre acabam conquistando o público em geral, seja pela insistência das pessoas em realizarem seus sonhos, ou pela capacidade de enfrentar os obstáculos que a vida os coloca.

A história de Enã Rezende, médico e autista, é uma mistura de dois. O jovem nasceu com autismo, o que fez até mesmo com que uma professora do ensino primário dizer para os pais dele que ele não conseguiria ao menos aprender a ler.

ANÚNCIO

Porém, mostrando o seu foco em alcançar seus objetivos, Enã conseguiu superar suas dificuldades e, assim como o médico de The Good Doctor, o jovem consegue atuar como médico assim como seus colegas de profissão.

The Good Doctor da vida real: conheça o jovem com autismo que se formou em medicina
Fonte: (reprodução/internet)

Entenda abaixo um pouco mais sobre a trajetória de Enã, o Good Doctor brasileiro.

Enã Rezende: o médico autista

Em The Good Doctor, série que conseguiu muita fama recentemente, por ser transmitida pela Globo, é possível acompanhar a vida do Dr. Shaun Murphy, médico que é diagnosticado com autismo.

ANÚNCIO

Com as conclusões únicas, e uma forma diferente de enxergar os problemas de seus pacientes, a dramaturgia conquistou um grande público, que acabou se perguntando se a história poderia de fato acontecer no “mundo real”.

E essa é exatamente a história de Enã Rezende. Ele é um médico brasileiro, do estado do Mato Grosso, que tem autismo leve, mas que mesmo assim conseguiu se formar na faculdade de medicina e atuar hoje fazendo o que ama.

Enã se formou em uma universidade particular de Cuiabá, não chegando a reprovar em nenhuma disciplina durante seu período como estudante. Porém, o caminho para conseguir tais conquistas nunca foi dos mais fáceis para o médico.

“Era uma criança considerada diferente e, por isso, as outras crianças me desprezavam e algumas até me batiam […]” disse Enã, sobre como foi complicada seu período de infância.

Autismo na escola

A mãe de Enã acabou ouvindo de uma professora da escola do garoto que ele não aprenderia a ler ou escrever quando era mais novo, devido aos problemas que o futuro médico enfrentava.

Porém, por conhecer as capacidades que o filho tinha, a mãe insistiu que Enã fosse alfabetizado. O processo aconteceu sem maiores problemas após o jovem conseguir aprender sob a tutela da cunhada de sua mãe.

Histórias como a de Enã e sua irmã mais nova, que sofre de autismo severo, deram a coragem necessária para a mãe de ambos iniciasse o projeto ‘Autismo na escola’, que hoje busca dar maior visibilidade para portadores do problema.

ANÚNCIO