Por que temos arrepios? A ciência explica

ANÚNCIO

 

Pesquisa pode explicar arrepios quando ouvimos música - News - Mixmag Brasil
Foto: (reprodução/internet)

Arrepios sempre nos fascinaram, de Charles Darwin aos cientistas modernos. Agora, uma equipe da Universidade de Harvard pode ter finalmente desvendado o mistério por trás disso.

ANÚNCIO

Sua pesquisa recente, publicada na revista Cell, mostra que a evolução dos arrepios pode estar ligada ao nosso cabelo. As células que causam arrepios também estão associadas à regeneração dos folículos capilares e do cabelo. A formação de um arrepio envolve o folículo piloso e os nervos simpáticos.

Os nervos simpáticos são a parte de nosso sistema nervoso que dita nossa resposta a estímulos externos e controla a hemostasia corporal. Ele está conectado a minúsculos músculos lisos, que por sua vez estão conectados às células-tronco do folículo piloso.

Portanto, o músculo que se contrai para formar um arrepio atua como uma ponte entre o folículo piloso e os nervos simpáticos. Em climas frios, os nervos simpáticos reagem contraindo o músculo, que forma a pele arrepiada.

ANÚNCIO

Ele também conduz a ativação das células-tronco para o crescimento do folículo capilar. A longo prazo, induz o crescimento de novos cabelos. Os pesquisadores também descobriram que, sob condições de frio prolongado, a atividade nervosa era intensificada com uma maior liberação de neurotransmissores.

As células-tronco foram ativadas, o que desencadeou a regeneração dos folículos capilares e o crescimento do cabelo. Quando os minúsculos músculos de ligação foram removidos, os nervos simpáticos se retraíram e a resposta nervosa para as células-tronco capilares também foi perdida, mostrando que os músculos eram uma parte importante do processo.

Os pesquisadores descobriram que o processo evolui com nossos folículos capilares. Ele secreta um tipo de proteína que forma o músculo. Isso atrai o sistema nervoso simpático.

Traduzido e adaptado por Agora Sabe

Fonte: Organic Facts

ANÚNCIO