Seria possível clonar o Mamute que foi descoberto enterrado no gelo?

ANÚNCIO
Pesquisadores de Harvard estão clonando DNA para gerarem mamutes - Ciência - iG
Foto: (reprodução/internet)

Com o fim da última grande Idade do Gelo, os poderosos rebanhos de mamutes peludos que vagavam pelas planícies do leste da Ásia começaram a diminuir. Mas eles podem estar voltando. Uma equipe de cientistas internacionais afirma ter uma “grande chance” de clonar um mamute peludo.

Como o mamute foi encontrado?

Em maio de 2013, os arqueólogos descobriram um espécime incrivelmente bem preservado enterrado no gelo em uma escavação em uma ilha na costa nordeste da Rússia.

ANÚNCIO

Leia também: Tudo que você sempre quis saber sobre hibernação, mas tinha medo de perguntar

Eles estão atualmente trabalhando com o espécime em um laboratório em Yakutsk, a gélida capital do norte da República Sakha da Rússia, e dizem que o mamute só está em boa forma porque encontraram sangue ainda fluindo através do tecido muscular.

Na verdade, a criatura de 43.000 anos estava em melhor forma do que a média dos restos de um ser humano que foi enterrado por apenas seis meses.

Cientista polêmico quer clonar mamute | Novidades da ciência para melhorar a qualidade de vida | DW | 18.03.2012
Foto: (reprodução/internet)

É possível ou viável fazer a clonagem?

Apesar de ter tanta matéria-prima para trabalhar, Radik Khayrullin, vice-presidente da Associação Russa de Antropólogos Médicos, diz que está hesitante em seguir em frente com o próximo passo mais óbvio: clonar o mamute.

ANÚNCIO

Ao responder a uma pergunta que ninguém realmente perguntou, Khayrullin disse à imprensa russa que “devemos ter uma razão para fazer isso, pois uma coisa é cloná-lo para fins científicos, e outra é cloná-lo por curiosidade”. Ele não menciona o fato de que a clonagem nessa escala ainda não é realmente possível.

Outro obstáculo gigantesco no projeto de clonagem de mamute: a equipe precisaria encontrar células vivas reais no mamute para cloná-lo com sucesso. Essa é apenas a primeira etapa de um longo processo que levaria primeiro ao desenvolvimento de um genoma viável de mamute lanoso.

Se eles pudessem fazer isso, eles seriam capazes de emendar as células em um embrião de elefante que mais tarde seria implantado dentro de uma elefanta saudável. Se tudo der certo, ela acabará por dar à luz um bebê mamute saltitante.

Embora muito possa ser aprendido ao trazer de volta um mamute, vários cientistas e críticos temem que isso possa abrir um mau precedente para experimentos de clonagem mais potencialmente perigosos no futuro.

Era glacial - Pré-História - Estudo Prático
Foto: (reprodução/internet)

Outros afirmam que pode ser simplesmente um grande desperdício de dinheiro. Só uma coisa é certa: um mamute peludo bebê, não importa quão abrangentes sejam suas origens, é incrivelmente adorável.

Traduzido e adaptado por Agora Sabe

Fonte: Portable Press

ANÚNCIO