Experimento envolvendo músicos de Jazz mostra como a criatividade funciona no cérebro

ANÚNCIO
CLUBE DE JAZZ ESTREIA DIA 26 DE JULHO NO SALUMERIA
Foto: (reprodução/internet)

Os neurocientistas há muito acreditam que a criatividade humana é muito complexa para ser confinada a uma região do cérebro. Mas não estava claro como o cérebro funcionava durante um exercício criativo.

Agora, uma equipe de cientistas americanos expôs o funcionamento da atividade cerebral de músicos de jazz durante as improvisações.

ANÚNCIO

Como foi o estudo?

Publicada na revista NeuroImage, a pesquisa revelou que a criatividade pode envolver qualquer um dos lados do cérebro, dependendo da expertise do músico.

A equipe escolheu 32 guitarristas de jazz (1 mulher) voluntárias para o estudo. As idades dos participantes variaram de 18 a 55 anos e sua experiência variou de 4 a 33 anos.

Para estudar a atividade cerebral, a equipe de pesquisa usou um eletroencefalograma (EGG) de alta densidade enquanto tocavam. Os músicos receberam folhas principais de jazz e instruções experimentais. Seu desempenho foi gravado.

ANÚNCIO

Mais sobre música: Entenda como o treinamento musical melhora a função cognitiva das crianças

A equipe estudou o EEG dos músicos enquanto tocavam. Ao todo foram 192 performances, tocadas para quatro especialistas em jazz. O objetivo era que para que eles avaliassem seu criatividade e desempenho.

Esse feedback foi levado em consideração quando a equipe comparou o desempenho bem avaliado com desempenhos considerados menos criativos.

Quais as descobertas da pesquisa?

A equipe de pesquisa descobriu que desempenhos altamente avaliados mostraram maior atividade no hemisfério posterior esquerdo do cérebro.

Em performances menos criativas, os pesquisadores encontraram maior atividade nas áreas frontais do hemisfério direito.

Quando eles correlacionaram esses dados com a experiência de cada músico, outro padrão emergiu. Quase todas as diferenças na atividade cerebral entre desempenhos altamente criativos e menos criativos foram encontrados nas regiões frontais do hemisfério direito.

Traduzido e adaptado por Agora Sabe

Fonte: Organic Facts

ANÚNCIO