De onde surgiu o termo Black Friday?

ANÚNCIO

Ocorrida no di 27 de novembro, a Black Friday se tornou sinônimo de compras, liquidações de fim de ano e multidões em fuga. Aqui estão alguns fatos fascinantes sobre a história da Black Friday e como tudo começou.

Empresas iniciam promoções da Black Friday 2019 no Brasil » FDR - Terra
Foto: (reprodução/internet)

É de conhecimento geral que o termo “Black Friday” se refere ao dia agitado de compras, sendo o primeiro dia em que os varejistas obtêm lucro após meses de vendas lentas (as lojas vão de “no vermelho” em suas margens de lucro para “no preto”: in the black).

ANÚNCIO

Leia também: Você tem esses adoráveis purificadores de ar em formato de árvore no seu carro? Descubra como eles surgiram

Mas não é verdade. Não só a maioria das lojas não chegaria até o final de novembro sem obter lucro, como também o primeiro uso conhecido da palavra data de 1951, quando se referia a funcionários que faltavam ao trabalho naquele dia para aproveitar o fim de semana de quatro dias nos EUA.

Também existe outra teoria. De acordo com o Philadelphia Inquirer, um policial de trânsito da Filadélfia cunhou o termo no final dos anos 50 para descrever seus sentimentos negativos sobre trabalhar no fim de semana do feriado.

A palavra pegou entre seus colegas de trabalho igualmente frustrados, a maioria dos quais estavam presos trabalhando em turnos de 12 horas no dia seguinte ao Dia de Ação de Graças, lidando com os compradores de Natal irritados que lotavam o centro da Filadélfia.

ANÚNCIO

Um repórter do Inquirer usou o termo em uma reportagem de capa sobre o impasse no Dia de Ação de Graças em 1960, e pode ter se espalhado a partir daí. Naturalmente, os comerciantes no centro da Filadélfia não gostavam que um dos dias mais movimentados do ano fosse descrito como “negro”.

Black Friday: clientes priorizam frete grátis e retirar na loja | VEJA
Foto: (reprodução/internet)

Eles reclamaram com o comissário de polícia da cidade, que emitiu um comunicado à imprensa no ano seguinte pedindo aos compradores da área, jornalistas e policiais que usassem o termo “Grande Sexta-feira” (Big Friday).

Obviamente não pegou, mas os varejistas da Filadélfia teimosamente usaram a “Big Friday” em anúncios e promoções regionais até a década de 1970.

Alguns historiadores e linguistas chegam a teorizar que a explicação da “margem de lucro” foi uma conspiração desses comerciantes para colocar uma versão mais positiva da “Black Friday” depois que eles perderam a batalha.

O termo se espalhou lentamente por todo o país nos anos 80 e varejistas começaram a oferecer ofertas tentadoras para atrair compradores. Desde então, surgiram sequências como o Buy Nothing Day (Dia mundial sem compras) e Cyber ​​Monday (segunda-feira cibernética).

Se você estiver indo para um shopping nesta Black Friday, guarde esta história na mente. Isso lhe dará o que falar enquanto espera na fila.

Traduzido e adaptado por Agora Sabe

Fonte: Portable Press

ANÚNCIO