Os astronautas não deixaram apenas pegadas na lua: cocô também! Entenda

ANÚNCIO

Assim como os donos de cães negligentes que não fazem a limpeza de seus animais de estimação, os astronautas da América são conhecidos por deixar cocô em alguns lugares malucos.

O lendário Programa Apollo é uma das maiores conquistas da humanidade. Além de transportar com sucesso 12 astronautas para a lua entre 1969 e 1972, permitiu-lhes trazer de volta mais de 360kg de poeira, rochas e outras amostras.

ANÚNCIO
Por que os EUA explodiram bombas na Lua durante o programa Apollo? - Mega  Curioso
Foto: (reprodução/internet)

Mas, como você provavelmente já sabe, o espaço era bastante limitado nos módulos de comando. Então, agora os astronautas liberaram algum espaço para todas essas amostras? Bem, eles deixaram algumas coisas que trouxeram com eles na superfície da lua.

Além de abandonar equipamentos e suprimentos de que não precisavam mais, os astronautas colocaram objetos simbólicos como bandeiras americanas e um telescópio folheado a ouro na lua. Isso não é tudo. Existem cerca de 96 sacos cheios de vômito, urina e fezes dos astronautas da Apollo.

Sobre cocô em lugares improváveis, leia também: Resíduos humanos são um problema sério no Monte Everest: entenda o caso

Naturalmente, esse não é um tópico amplamente discutido nas aulas de história ou ciências do ensino médio. Caso você esteja se perguntando, os astronautas nessas missões usaram o que é chamado de “Montagem de Receptáculo de Coleta Fecal” quando tiveram que fazer cocô.

ANÚNCIO

O que é isso, você pergunta? Um saco plástico que eles colaram no fundo para que nenhum de seus excrementos escapasse e flutuasse ao redor dos módulos em gravidade zero.

Cocô no espaço - A NASA está a procura de uma solução para o problema | GOA  -Gaturamo Observatório Astronômico
Foto: (reprodução/internet)

Uma configuração mais sofisticada chamada “Sistema de transferência de urina” foi usada em pelo menos algumas das missões. Consistia em um tubo, tipo camisinha, ligado a um aparato de metal que poderia ser conectado a uma bolsa ou válvula de pressão.

Este último foi preso às paredes do módulo para os astronautas que preferiam, essencialmente, fazer xixi diretamente no espaço sideral. Nem é preciso dizer que usar a bolsa era a mais segura das duas opções.

Os astrobiólogos estão curiosos para aprender mais sobre todos os resíduos biológicos que ainda estão na lua.

Dadas as condições na superfície lunar (a temperatura lá em cima pode variar dramaticamente de -232 ºC à noite a 122 ºC durante o dia), eles teorizam que o cocô pode ter sofrido estranhas mutações genéticas nos últimos 40 anos ou mais.

Traduzido e adaptado por Agora Sabe

Fonte: Portable Press

ANÚNCIO